Análise – DE Bradley Chubb, N.C. State

03/26/2018
DB+

Muitos analistas e especialistas em draft consideram a classe de defensive ends de 2018 bem inferior em relação as dos últimos anos. Eu não discordo dessa opinião porque, após Bradley Chubb e Harold Landry existem muitas dúvidas em relação a habilidade atlética, dedicação ou até mesmo questões sobre a versatilidade dos prospectos para adaptação a diferentes esquemas. Vários edge rushers jogaram fora de posição no college football nesse último ano, mas esse nao foi o caso de Bradley Chubb de North Carolina State.

Chubb foi considerado um jogador 3 estrelas na fase de recrutamento para as universidades, vindo da Hillgrove High School em Powder Springs, Georgia. Com sua versatilidade, jogando de outside linebacker e defensive end, ele atraiu ofertas de North Carolina State, Duke e Iowa, optando por se juntar ao “Wolfpack”. Não surpreende o fato de Chubb ter se tornado um jogador tão visado, o garoto veio de uma familia de “football players”, com seu pai, Aaron, tendo atuado Universidade da Georgia e seu irmão, Brandon, em Wake Forest. Ele é ainda primo de Nick Chubb, promissor running back de Georgia que está cotado para ser uma escolha de segundo ou terceiro round no draft desse ano.

Após começar sua carreira universitária jogando como linebacker em 2014, Chubb passou a jogar regularmente de defensive end em 2015. Desde então ele tem jogado numa posição híbrida, revezando entre as stances de 2 ou 3 pontos. Indiferentemente da técnica usada no seu alinhamento, Chubb dominou seu nível de competição, finalizando 2017 com os prêmios Bronko Nagurski Trophy (melhor jogador de defesa da NCAA) e jogador de defesa do ano da conferência ACC.

Bradley Chubb certamente será uma escolha de top 10 no draft do próximo mês. Os Giants, que acabaram de trocar Jason Pierre-Paul para os Buccaneers, podem estar visando o jogador. Mas antes de analisarmos essas possibilidades, vamos observar alguns vídeos e conhecer um pouco mais dos pontos fortes e fracos desse promissor jovem jogador:

PONTOS FORTES:

  • Ótimo convertendo velocidade em força no pass rush
  • Executa com perfeição todos tipos de “stunts” de linha defensiva (movimento em que um DL ataca o OL e o outro DL dá a volta por trás do companheiro buscando enganar os bloqueadores adversários)
  • Pode ser usado na cobertura se preciso, principalmente nos flats (área dos passes curtos laterais)
  • Versátil. Pode jogar em pé ou na stance de 3 pontos
  • Boa técnica nos tackles
  • Boa agilidade lateral, seja se movimentando na linha de scrimmage ou em campo aberto
  • Boa explosão no snap, motor que não para e boa capacidade de perseguição
  • Boa capacidade de se livrar dos bloqueios com vasto repertório de movimentos (push-pull, club, swim)
  • Protege bem o seu gap e não costuma deixar os running backs tomarem a lateral do campo
  • Excelente trabalho de pés e uso das mãos no pass rush, principalmente com inside moves

 

Como podemos ver no vídeo acima, Chubb é muito bom com inside moves. Nessa jogada ele usa uma técnica chamada “push-pull”, aonde segura a jersey do bloqueador e o empurra, mas rapidamente o puxa logo em seguida, usando a sua própria força para desequilibra-lo. Isso permite com que ele saia livre entre o LT e o LG, parando o running back adversário. Ele usa sua explosão pra converter toda sua velocidade em força nessa jogada.

https://streamable.com/swo3l

 

Na jogada acima Chubb (#9) protege seu gap trabalhando no ombro de fora do left tackle. Ele força o LT a girar seu proprio tronco e estreitar sua base. Com isso, Chubb consegue uma boa leitura do backfield e para a jogada com sucesso.

PONTOS FRACOS:

  • Tendência a dar as costas para o bloqueador contra “down blocks” (basicamente bloqueios que o direcionam para dentro, em direção ao center)
  • Nem sempre joga abaixo do pad level, facilitando o bloqueio do adversário
  • Hesitante quanto a quando usar as mãos e ir pra cima do QB
  • Não possui grande fluidez nos movimentos, mostrando certa falta de flexibilidade

https://streamable.com/d13ms

 

Essa é uma jogada de play action do ataque de Wake Forest. Chubb (#9) está atacando o left tackle e o controla com certa facilidade, mas hesita quanto a quando atacar o backfield. Sua primeira leitura no QB é lenta e causando demora no uso das mãos. Mesmo assim ele consegue pressionar o QB, porém caso tivesse feito um diagnóstico mais rápido, a jogada teria terminado em um sack.

Nesta jogada acima, Chubb fica muito em pé e não percebe o down block que está por vir. Ele dá as costas para o bloqueador, o que o torna um alvo fácil. Além disso, de costas pro lance, ele não consegue mais acompanhar para onde o corredor está indo, ficando completamente fora da jogada.

VISÃO GERAL:

Não há nenhum edge rusher mais completo do que Bradley Chubb nesse draft. Ele tem velocidade, força e tudo que se espera de um jogador da posição. Além disso possui a habilidade de “dobrar a esquina”, pressionando QBs e destruindo jogadas no backfield. Ele não é tão explosivo quanto Harold Landry, mas é o edge rusher mais completo dessa classe.

 

Bradley Chubb recebeu uma pontuação geral de 5.681 na nossa tabela de notas. Isso o coloca tranquilamente no round 1 desse draft e ele mostrou o bastante para se solidificar como uma escolha de top 10.

Ao que tudo indica, os Browns estão preparados para fazer de Sam Darnold a primeira escolha do draft. À partir daí, Chubb já se torna uma real possibilidade. Os Giants possuem a escolha #2 e acabaram de trocar o JPP. Chubb parece o substituto perfeito e a equipe de Nova Iorque já agendou uma visita pré draft com o defensive end.

Obviamente isso não garante que ele será a escolha #2, mas os Giants com certeza tem Chubb bem rankeado no seu board. Outro time que pode ter muito interesse é o Cleveland Browns com a escolha #4. Ele seria o complemento perfeito jogando oposto à escolha #1 do draft passado, Myles Garrett e também se encaixaria como o “melhor jogador disponível” nessa escolha. Após essas duas possibilidades, me surpreenderia muito caso o Indianapolis Colts o passassem na escolha #6, mas se tratando de draft, tudo é possível.

No fim das contas, não há esquema que Bradley Chubb não seja capaz de jogar. Ele pode ser um edge rusher que joga mais em pé, numa defesa 3-4, ou um tradicional defensive end numa defesa 4-3. Não importa em qual esquema, ele será um grande jogador com a rara capacidade de se destacar contra o jogo corrido e atacando o quarterback. O time que drafta-lo estará garantindo um defensive end para, pelo menos, os próximos dez anos.

 

Scouting Report | DE Bradley Chubb, N.C. State

 

 

0 Comments